Glossário do Marketing Digital

10 minutos para ler

Sabendo que muitas vezes ficamos perdidos no mundo digital com palavras que nem sequer sabemos que existem, escrevemos um Glossário do Marketing Digital com as 32 principais palavras utilizadas no nosso meio, agora já vai ficar mais fácil você imergir nesse mundo mágico do Marketing Digital, você aqui já entenderá os principais termos do MD (Marketing Digital)!


Glossário do Marketing, vendas e conteúdo

  1. AIDA – É uma sigla que abrevia as etapas Atenção, Interesse, Desejo e Ação. A AIDA é basicamente um modelo baseado no comportamento humano que descreve uma lista comum de eventos que talvez ocorra quando um consumidor se engaja em algo. O objetivo aqui é geralmente aumentar a taxa de conversão através da análise das ações do usuário.
  2. CRM – Sigla para Customer Relationship Management ou Gerenciamento de relacionamento com clientes, em português. Em sua essência esse termo se refere a uma abordagem que tem foco no cliente. Porém, ele é geralmente associado a softwares que ajudam a organizar e a gerenciar informações e atividades de uma base de contatos. Alguns exemplos são o Agendor,Pipedrive e o Close.io.
  3. CRO – Sigla para Conversion Rate Optimization (Otimização de taxa de conversão). Como o próprio nome diz, estratégias de CRO visam maximizar a taxa de conversão em itens desejados dentro do site de uma empresa.
  4. CTA – Call to Action ou “chamada para ação”, são frases (que podem estar no formato de links e botões) que instigam o usuário a realizar algum tipo de ação ou tomada de decisão. E, na maioria das vezes, são utilizados verbos no imperativo para que isso ocorra. Os exemplos mais comuns são: leia este texto, entenda mais sobre esse assunto clicando aqui, aproveite a oferta e compre agora, etc.
  5. Inbound Marketing– Também conhecido como o “novo marketing”, o inbound marketing tem como objetivo atrair potenciais clientes, nutrí-los e direcioná-los para o momento da venda. A ideia aqui é que o cliente chegue até a empresa, e não o contrário (prospecção passiva). E para que isso aconteça nós utilizamos o Marketing de Conteúdo. É aqui que está o nosso Funil de Conteúdo, aplicado através de blogs, mídias sociais e outros canais digitais.
  6. Landing Page – Em português, significa página de aterrizagem. Aqui nós temos a porta de entrada de um site, ou seu domínio “raiz”. Como geralmente um dos objetivos de quem trabalha com marketing digital é o de gerar leads, a landing page tenderá a ser otimizada para que pessoas com interesse no conteúdo do seu site deixem o contado por ali. Isso pode ser feito através da criação de um pequeno formulário ou simplesmente criando-se um espaço para que ela cadastre o seu email.
  7. Lead – Essa é exatamente a pessoa que acabamos de mencionar aqui em cima. Ela deixou seus dados em um formulário de conversão e demonstrou interesse no que a sua empresa tem a oferecer, caracterizando-o, a princípio, como um potencial cliente.
  8. Keyword –  É a palavra chave que serve para resumir o tema principal abordado em um texto. No geral, temos short keywords (palavras-chave curtas) e long tail keywords (palavras-chave longas). Dependendo da estratégia de SEO escolhida (falaremos um pouco mais sobre esse termo já, já… não se preocupe!),  uma ou outra será utilizada em cada texto. É ainda baseado no uso dessas palavras dentro do seu site de forma geral que o google e outros navegadores rankeam a sua página com relação às demais páginas na web que possuem o mesmo termo.
  9. Marketing de Conteúdo – Nós já falamos um pouco sobre esse cara ali atrás, estão lembrados? Marketing de conteúdo é, de forma simples, marketing através da produção de conteúdo que seja relevante e direcionado para o seu público alvo. É por meio dele que queremos atrair leads e fidelizar um público e, com o tempo, nos tornar referência em um determinado assunto.
  10. Outbound Marketing– Esse é o marketing ativo, ou tradicional, como também é conhecido por alguns. Ao contrário do que muita gente pensa, ele pode ser muito valioso e trazer resultados muito rapidamente. Além de comerciais de TV, outdoors e panfletos (que geralmente são usados para vender algo de baixa complexidade), também podemos lançar mão de estratégias como o cold mail(2.0), cold call(2.0) e o contato pessoal, que são extremamente necessários, principalmente quando tratamos de produtos/serviços de base tecnológica (que são complexos e caros, em sua grande maioria).
  11. Cold Call– Ou traduzido para o português, ligação fria, é a ligação feita para um potencial cliente com o qual você nunca teve um contato prévio. Além disso, como cold calling é uma expressão muito utilizada na área de vendas, ela está geralmente associada a um contato que envolve interesse comercial, ou seja, alguém querendo vender algo para um outro alguém.
  12. Cold Mail– Similar ao cold calling, cold mailing é a tentativa de iniciar a conversa com alguém via email sem anteriormente ter tido algum tipo de contato com essa pessoa (que, nessa fase, é bem provável que seja um lead). Uma das dificuldades desse processo é conseguir contatar a pessoa certa, além de alinhar o discurso à mesma.
  13. Taxa de conversão – Bom, é a taxa de conversão que você obtém em uma determinada ação. Então, por exemplo, se você quer 35 pessoas convertam na sua newsletter a cada 100 pessoas atingidas, você está olhando para uma taxa de 35% conversão. Bem direto, certo?

Métricas

  1. CAC – O custo de Aquisição de Cliente é uma métrica que avalia quanto a sua empresa gasta para adquirir um novo cliente. Se você possui tanto um processo de inbound quanto de outbound, esses números podem variar bastante entre eles. Entendeu o porquê? Se você está com dificuldades, sugiro que dê uma relida na parte onde falamos de outbound e inbound marketing. Por fim, essa métrica ajuda e muito no planejamento de ações futuras da equipe de marketing.
  2. CTR –  É a sigla para Click through Rate ou Taxa de Cliques, é o número de cliques dividido pelo número de visualizações de um anúncio exibido. Bem parecida com a Taxa de conversão, quanto maior o seu CTR, melhor!
  3. KPI – Key Performance Indicators ou Indicadores Chave de Performance, são indicadores definidos com o objetivo de acompanhar o desenvolvimento das ações que estão sendo tomadas para alcançar um objetivo determinado.
  4. MRR – Monthly Recurring Revenue ou Receita Recorrente Mensal. Nesse caso em específico, é basicamente o valor que a sua empresa recebe mensalmente de um cliente.
  5. LTV – Lifetime Value of Customer ou o Valor do Tempo de Vida de um Cliente. Esse é um pouco mais complicado, mas a fórmula geral é a seguinte:

LTV= (MRR médio por conta x Tempo de vida do cliente)/Taxa de evasão de clientes

  • ROI – Return on Investment ou Retorno sobre Investimento, em português. É a razão entre o dinheiro ganho (ou perdido) e o que foi investido em seus esforços de marketing. Portanto, um ROI acima de 1 significa que você está ganhando dinheiro, enquanto um ROI menor que 1 significa que você está perdendo dinheiro.
  • SEM – A sigla para Search Engine Marketing ou Marketing de Ferramenta de Busca. O termo se refere a um conjunto de técnicas de Marketing que tem como objetivo a promoção de uma página ou site nas páginas dos buscadores (Google, Bing, Yahoo, etc). Além disso, o SEM é geralmente dividido entre SEO e anúncios em links patrocinados.
  • SEO –  Essa daqui é bem famosa. Search Engine Optimization (Otimização das Ferramentas de Busca). SEO é o conjunto de técnicas, estudos e métodos que visam melhorar o posicionamento das páginas de um site em mecanismos de busca como o Google, Yahoo, etc.
  • Web Analytics – É o processo de medição, coleta, análise e a produção de relatórios de dados de navegação e interação com o objetivo de entender as ações do usuários e otimizar o uso dos sites e páginas na Internet.

Blog e site

  • Adwords – Ou Google Adwords, é o serviço de publicidade da Google. É pelo Adwords que os sites fazem anúncios pagos para aparecerem no topo das páginas de resultados do Google e, assim, conseguir mais visitantes.
  • API – Application Programming Interface ou Interface de Programação de Aplicação, em português. API é o conjunto de padrões de programação que permite que um software interaja com outro, permitindo que algumas funcionalidades sejam integradas.
  • Autoridade de página – É autoridade ou importância que uma página possui dentro do algoritmo do Google. Para que a sua página cresça em autoridade, muitos fatores são levados em consideração, mas o principal deles é a quantidade de vezes que a sua página é linkada por outras páginas (de autoridade).
  • Autoridade do Site– Aqui o conjunto ajuda a fazer o todo. Assim como a autoridade de página, a quantidade de links externos que apontam para o seu site são o principal responsável por fazer a sua página ter um bom rank.
  • Tráfego orgânico – É o tráfego advindo da busca de uma palavra-chave nos mecanismos de busca, onde o seu site acaba sendo encontrado e clicado. Vale lembrar que  o que caracteriza o tráfego orgânico é a sua natureza gratuita. Portanto, quanto melhor rankeado nos mecanismos de busca a sua página estiver (a construção de autoridade de página/site te ajuda muito aqui), mais tráfego orgânico ela irá gerar.
  • Link Building  – Ou construção de links, é o trabalho de conseguir links para a sua página ou site. É muito importante que seja feito com naturalidade e o meio mais fácil e correto de se fazer isso é através da construção de conteúdo de qualidade e relevância.
  • SERP – Search Engine Results Page, ou Página de Resultados em português, é o termo técnico utilizado para falar das páginas que exibem os resultados em uma ferramenta de busca.
  • Teste A/B –  É um teste onde se avalia duas versões diferentes de uma página, para entender qual delas possui uma melhor aceitação do público e outros fatores de interesse. Um exemplo de teste A/B poderia ser trocar a ordem dos itens listados no menu de navegação do site e analisar como isso afeta a usabilidade do usuário.
  • White Paper –  É um artigo mais encorpado, classificado como um material rico, onde um problema e a sua solução são abordados. No marketing de conteúdo, whitepapers são criados com o intuito específico de educar os potenciais clientes sobre um assunto de interesse.
Posts relacionados

Deixe um comentário